Restaurando um teclado IBM Model M

Olá,

Este post descreve o processo de restauração que fiz em um teclado antigo de computador, um IBM Model M. Como o texto ficou meio grande, decidi organizá-lo em tópicos:

  • Introdução
  • O teclado
  • Processo de limpeza
  • Nut and Bolt Mod
  • Substituição do cabo
  • Considerações

Introdução

Já faz um tempo que eu tinha a intenção de adquirir um teclado mecânico, visto que eles são bem melhores que os teclados de membrana de borracha. O problema é sempre o preço: bons teclados mecânicos custam muito caro, e os baratos costumam possuir qualidade muito baixa. Por motivo nostálgico, resolvi tentar obter um teclado antigo de computador: um IBM Model M. Ele é da época em que a qualidade de um produto vinha acima da economia com material barato e de baixa qualidade. Para quem não conhece, segue alguns links de notícias sobre o mesmo:

O grande diferencial desse teclado é seu mecanismo de “buckling spring“, patenteado pela IBM, onde a tecla pressiona uma mola que, após um certo nível de pressão, bate na lateral do encaixe, produzindo o famoso “click” ao pressionar cada tecla. Quando isso ocorre, uma alavanca ativa os contatos da membrana, produzindo o sinal de tecla pressionada, como ilustrado na animação abaixo:

keyboard_buckling_spring

O teclado

Hoje em dia é difícil encontrar uma unidade “original”, pois eles já não são mais fabricados. Na verdade, existe uma empresa chamada Unicomp, composta por ex-funcionários da Lexmark (empresa que fabricava os Model M para a IBM), que adquiriu as patentes do teclado e ainda os fabrica até hoje. Porém, os materiais não são os mesmos, enfim, não é a mesma coisa que o modelo original.

Encontrar um teclado desses hoje em dia envolve o fator sorte: ou você o encontra em alguma “sucata de informática”, ou por acaso alguém tem um guardado em algum depósito e resolve vender, etc. Minha finalidade era encontrar um modelo, mesmo que não estivesse 100% funcional, e restaurá-lo para uso no dia a dia.

Consegui adquirir uma unidade em um site de comércio eletrônico. O teclado foi vendido na condição as is”, onde o vendedor deixou claro que não sabia dizer se o mesmo estava ou não funcionando, e mencionou o fato do cabo ter sido arrancado. Como meu objetivo era mesmo fazer uma restauração, fechei negócio. E assim ele veio:

20160719_121659 20160719_12170920160719_121838 20160719_121902

O teclado estava bem sujo e empoeirado por dentro. Pela aparência, provavelmente alguém havia derramado café no mesmo.

20160719_121714 20160719_121814 20160719_121720 20160719_122025

Antes de mais nada, resolvi testá-lo, para ver se ele ainda funcionava. Ao plugá-lo, os LEDs se acenderam (bom sinal)! Porém, a infeliz surpresa: várias teclas estavam “presas”, como se estivessem sendo pressionadas continuamente. Ao tentar mexer nas molas, consegui acertar algumas delas. Porém, outras teclas estavam ativando teclas vizinhas (ex.: ao pressionar a tecla “O”, o “P” era pressionado sozinho, infinitamente).

De qualquer forma, resolvi limpá-lo e depois procurar soluções para o problema das teclas na internet.

Processo de limpeza

O primeiro passo foi abri-lo e remover todas as teclas, para limpá-las.

20160719_143459 20160719_143402 20160719_143416

Ao retirar a placa com as teclas, pode-se perceber no detalhe a mancha no fundo da carcaça – definitivamente, café derramado rs

20160719_144059 20160719_144257

20160719_143241 - CopiaDestaque para a mola mais alta que as demais na tecla ENTER do teclado numérico. Provavelmente ela foi puxada, e acabou sendo esticada mais do que deveria. Isso fez com que a tecla não produzisse o barulho de “click” ao pressioná-la. Resolvi cortando um pequeno pedaço da mola.

As teclas foram limpas com lenços umedecidos. A carcaça de plástico foi limpa com esponja, água e sabão. A base de plástico (onde ficam as teclas) foi a mais trabalhosa, pois não quis jogar água e correr o risco de molhar a parte interna, onde fica a membrana. Logo, apenas removi o máximo que pude usando uma escova e cotonetes.

Resultado da primeira tentativa de limpeza:

20160719_164636 20160719_16491420160719_164928 20160719_165000 20160719_164941

Nut and Bolt Mod

Após a limpeza, fui em busca de uma solução para as teclas que não funcionavam. Foi aí que descobri em fóruns lá fora (principalmente americanos) uma modificação famosa que muitos fazem nos seus teclados IBM Model M, chamada IBM Model M Nut and Bolt Mod.

A questão é a seguinte: quando o teclado apresenta esses problemas, isso costuma ter dois motivos:

  1. Sujeira na membrana: isso pode fazer com que o contato entre as chapas da mesma esteja “grudando” (efeito do café derramado);
  2. Alavanca das molas solta: as molas repousam sobre uma pecinha, similar a uma pequena alavanca, que faz o contato com a membrana ao pressionar uma tecla. Se essa alavanca soltar da base, é preciso reposicioná-la.

O problema é que o teclado não é facilmente desmontável para termos acesso a esses componentes, pois a base das teclas (parte preta onde cada tecla é encaixada) é um plástico preso à base de metal do fundo através de plástico derretido, ao invés de usar parafusos. E é apenas isso que segura a membrana entre essas placas.

Esse “Nut/bolt mod” consiste em romper esses plásticos, substituindo-os por parafusos/porcas (daí o nome nut/bolt). Isso possibilita temos acesso à membrana sempre que for preciso.

A princípio, encontrei esse tutorial e o segui.

O primeiro passo, foi remover esse plástico derretido. (Veja aqui, aqui e aqui fotos desse plástico derretido, linkadas de outro site, pois acabei esquecendo de fotografar no processo.)

Após a remoção, temos acesso à membrana, e ao fundo da base onde ficam apoiadas as teclas. Também temos acesso às molas e às alavancas onde elas ficam presas. Há também uma capa de borracha, que evita o contato direto das alavancas com a membrana.

20160719_212758 - Realçada 20160719_212744

Molas, e mais molas!

20160719_214128 20160719_212821

O próximo passo foi lixar as pontas dos plásticos que foram arrancados, usando uma micro retífica. Em seguida, foram feitas pequenas marcas com a ponta do ferro de solda, para guiar a broca.

20160720_131452 20160720_131523 20160720_132934

Todos os 49 (!) parafusos colocados no lugar.

20160720_140306 20160720_140347

Lixei um pouco a placa de metal para remover o excesso de ferrugem.

20160720_140548 20160720_14055820160720_140959 20160720_141008

A membrana estava bem suja. O problema maior aqui é nos contatos (as bolinhas brancas no desenho…). Fiz a limpeza com uma borracha, bem de leve, sem muita abrasão, só o suficiente para remover a sujeira.

20160720_142217 20160720_142221 20160720_142226

Hora de recolocar as molas no lugar. 🙂

20160720_145141 20160720_145819

… e apertar 49 parafusos/porcas!

20160720_153635 20160720_153640 20160720_153652

 E aí começou o problema:

20160720_154220 (detalhe)

À esquerda é possível perceber que, ao recolocar a placa na carcaça, a mesma não se encaixava no devido pino. Isso ocorre porque as pontas dos parafusos fazem um volume muito grande, e a placa de metal não toca naturalmente a base da carcaça.

20160720_155050Primeira tentativa de solução: lixar as pontas dos parafusos usando a micro retífica.

Porém, nada da placa se encaixar direito. Logo, o problema não são as pontas dos parafusos, mas as porcas.

Aplicar pressão até faria com que a placa se encaixasse no pino, e daria para fechar o teclado, mas isso não seria desejável, pois essa pressão com o tempo poderia causar deformações no plástico.

Ao pesquisar mais, descobri esse outro tutorial, onde o sujeito passou pelo mesmo problema e usou parafusos nos furos inferiores da placa, que tocam o “chão” da carcaça de plástico. Pena não ter esbarrado nesse tutorial primeiro, mas valeu o aprendizado rs.

Primeiro parafuso aplicado, de teste: vi que a ponta ficou muito exposta.

20160721_115533 20160721_115545

Após lixar as pontas, o resultado ficou bem melhor:

20160721_115750 20160721_115828 20160721_132901

Verso da placa, com os parafusos, e detalhe do encaixe da placa no pino:

20160721_135128 20160721_135240

Resultado: teclado limpo e funcionando 100%.

20160721_144614 20160721_144623

Substituição do cabo

Apesar do teclado funcionar, queria substituir o cabo, que estava todo desencapado. Pensei em pegar um teclado qualquer, velho e quebrado, e aproveitar o cabo, mas isso tiraria um pouco do “efeito nostálgico”, pois um característica desse teclado é seu cabo em espiral, difícil de achar (que pode ser visto aqui e aqui).

O ideal seria encontrar outro Model M, mesmo que não estivesse funcionando, e aproveitar o cabo. Porém, eventualmente acabei obtendo um IBM Model F.

20160722_134747 20160722_134803 20160722_134840

Mas havia um detalhe: esse Model F é um teclado de terminal, com conector RJ-45. E o Model M que tenho possui conector PS/2. Porém, a fiação é a mesma em ambos (5 fios). Logo, bastaria aproveitar o cabo, substituindo o conector.

Confesso que passei por um dilema moral aqui, pois ia “tirar” o cabo de um Model F. Porém, o fato de estar “fornecendo um cabo a um Model M” venceu o dilema rs. Retirei o cabo do Model F com o cuidado de não danificar o teclado, apenas desconectando-o da sua placa. (Um dia ainda pretendo restaurar esse Model F, ou talvez vendê-lo, enfim.)

Logo, o trabalho resumiu-se em:

  1. Transferir o conector PS/2 do cabo do Model M para o cabo do Model F
  2. Transferir também o conector interno (infelizmente, são diferentes)

20160722_150203 20160722_150237

Após alguns procedimentos, como cortar e emendar os fios, aplicar um pouco de solda, e aplicar uns tubos de espaguete termo retrátil, temos a versão final do cabo.
20160722_190720

20160722_162428 20160722_16262820160722_183537 20160722_184948

Infelizmente só consegui o termo retrátil preto… Queria muito ter conseguido cinza, para um melhor acabamento. Posteriormente posso tentar obtê-lo e trocar o da parte do conector PS/2. Nem tudo é perfeito. 🙂

Hora de plugar o cabo na placa do Model M:

20160722_191346 20160722_191324

Detalhe da parte traseira:

20160722_193854 20160722_193908

Versão final:

20160722_193823

Para se ter uma noção do som emitido pelo pressionamento das teclas, fiz um vídeo comparando o IBM Model M com um teclado de membrana de borracha (Microsoft Wired Keyboard).

Considerações

Apesar do mod ser um procedimento arriscado, valeu a pena fazê-lo. O teclado é muito bom para uso diário. A sensação é de haver um aumento na precisão da digitação, fora o som das teclas que é bastante agradável. 🙂

Como pode-se notar, esse teclado não possui a tecla Win. Resolvi isso usando o software SharpKeys, que permite remapear teclas. No caso, transformei o CTRL da direita na tecla Win. Logo, tenho todas as funcionalidades do Windows, como abrir o Windows Explorer pressionando Win+E (no caso, Right Ctrl+E). De qualquer forma, tenho uma certa curiosidade em experimentar um modelo mais novo, da Unicomp (que possuem a tecla Win), para ver a diferença.

11 comentários sobre “Restaurando um teclado IBM Model M

  1. Rafael, muuuito completo seu tutorial. Parabéns meu irmão! Eu consegui um teclado M mas estou com um problema que está me enlouquecendo…as teclas CTRL não funcionam. achei que era um problema do adaptador ps/2 para usb mas não é porque testei em um PC com conexão física PS/2 (rodando XP) e o problema é o mesmo. Já busquei pacas e encontrei centenas de relatos sobre problemas com o CTRL, mas são relacionados a teclados de Notebook e/ou problema causado por configurações da facilidade de acesso do Windows (que o cara não sabia que estavam ativas). Se souber de algo, me dê uma luz. De qualquer forma, bom de ler algo tão meticulosamente relatado por um brasileiro – algo raro 🙂

    Curtir

    1. Que bom que gostou, Fred! 🙂 Que pena os CTRL não funcionarem! Acho difícil ser algo relacionado à membrana, pois seria muita coincidência acontecer simultaneamente nas duas teclas CTRL, mas nunca se sabe né… Não sei mais o que poderia ser, mas talvez algum problema na placa de circuito. Sinto não conseguir ajudar muito, mas desejo boa sorte em conseguir resolver!

      Curtir

  2. Nossa, mod excelente, ótimo tutorial.
    Também tenho um Model M e me considero muito sortudo, consegui por um valor muito bom, impecável, com cabo novo trocado pelo antigo dono e ainda por um preço muito camarada. Isso foi um pouquinho antes desse hype todo sobre o modelo estourar, logo depois passaram a vender no Mercado Livre por preços absurdos.
    Uma pena que hoje em dia quase não o uso mais, já que acabei migrando pro layout ANSI, e ele é ABNT2.

    Um dia desses abri para ver se precisaria fazer bolt mod, mas como os rivets ainda estavam intactos, com apenas um deles quebrados, decidi deixar pra lá.

    Agora inveja mesmo eu tenho desse seu Model F. Nunca testei um deles, mas dizem que é muito melhor que os Ms. Você vai reformá-lo também?

    Curtir

    1. Obrigado! Sortudo mesmo você rsrs. Eu ainda queria obter outro Model M “sobressalente” visto que, quando eventualmente o meu parar de funcionar, sabe-se lá se vou conseguir um substituto, pois vai ficando mais difícil de encontrar.

      Quanto ao Model F, talvez eu o reforme um dia, mas pra vendê-lo. Nem sei se ele funciona, pois o adquiri em um ferro velho. Não deu pra testar pois, pelo que li, precisaria de um conversor, visto que era teclado de terminal com conector RJ-45 (parece que dá pra fazer esse conversor usando Arduíno). Eu “digitei” nele às cegas, só pra sentir as teclas, e não notei muita diferença pro Model M. O som do clique é um pouco diferente, mais estridente: parece caixa registradora antiga haha. E o layout também é bem diferente dos teclados atuais, por isso não pretendo mantê-lo para uso diário, estou bem satisfeito com o M. 🙂

      Abraços!

      Curtir

  3. Parabéns pelo tutorial, será que você saberia como posso encontrar a tecla numero 6, tenho um TK3000 IIE sem esta tecla, preciso muito. Obrigado. Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s